bebê no berço

Uma das primeiras preocupações que antecede a chegada do bebê é montar o quarto do pequeno. Entre os principais desafios está, diante de diversos tipos de berço, escolher o ideal para o futuro morador da casa. 

A princípio, essas mobílias parecem iguais, mas a verdade é que cada uma delas tem uma aplicação e características diferentes. 

Separamos a seguir os tipos de berço mais comuns e também dicas que podem te ajudar nessa escolha. 

7 tipos de berço

Apesar de todos terem o mesmo nome, eles são diferentes. Há aqueles para os mais novos, para ficar no quarto dos pais e muito mais. Veja os detalhes e os tipos de berço mais comuns: 

1. Berço americano

Essa é uma das escolhas mais tradicionais. A vantagem aqui é que todos os berços desse tipo seguem um tamanho padrão, ou seja, não há sustos na hora de instalar. Também é bem simples encontrar roupa de cama nesse padrão.  

Para completar, como o tamanho do berço americano é sempre igual, fica mais fácil comprar acessórios, como mosqueteiro, ou mesmo completar a decoração do quarto com cômodas e outros itens. 

Atenção: Apesar de muito popular, o kit berço é perigoso ao seu bebê. Esse tipo de produto não é aprovado por organizações médicas. Apesar de decorar o quarto, há riscos sérios aos pequenos. Saiba mais sobre o kit berço

2. Berço moisés: mobilidade e charme

berço de bebê
(iStock)

O berço moisés é muito charmoso. Ele costuma ser feito com materiais delicados e que, por vezes, simulam ou são propriamente feitos de entrelaçados de madeira. 

Esses berços são pequeninos e podem ser carregados para qualquer lugar da casa, garantindo harmonia com todos os ambientes. Além disso, facilitam a vida dos pais que querem deixar o bebê ao lado da sua cama, por exemplo. 

Se essa for a sua escolha, fique atento ao material do moisés. A base deve ser bem firme para evitar qualquer risco ao bebê. 

No entanto, vale lembrar que por serem menores, esses tipos de berços não têm duração prolongada. Em resumo, será perdido logo que o bebê começar a crescer. 

3. Berço acoplado

Ainda para quem quer manter o bebê sempre por perto na hora de dormir, uma sugestão é apostar no berço acoplado. 

Nesse caso, trata-se de uma peça literalmente acoplada à cama dos pais. Há modelos com diversas faixas de preço e, geralmente, eles contam com suporte de metal, não de madeira. 

Assim como o moisés, o berço acoplado também tem uma data de validade mais curta que um berço americano ou um berço cama. Consulte sempre o fabricante para saber até que peso esse tipo de berço comporta e evite riscos. Se o bebê passar desse limite, é hora de aposentar o item. 

4. Berço portátil

bebê no berço
(iStock)

Continuando na mesma linha, temos também os berços portáteis. Eles são desmontáveis e menores que um berço tradicional. Além de poderem ser instalados em qualquer cômodo da casa, são uma ajuda e tanto em caso de viagens. 

De novo, atente-se para a questão do tempo de uso. Assim como no berço acoplado, aqui há um limite de peso suportado pela peça. Respeite sempre essa indicação. 

5. Berços multifuncional

berço multifuncional
(iStock)

Esse tipo de berço é ótimo para quartos em que otimizar o espaço é essencial. Sobretudo, cômodos pequenos e que precisam ter a caminha do bebê unida a outros móveis. 

Os berços multifuncionais também são uma ótima alternativa para economia, pois reúnem geralmente gaveteiros, trocadores e cômodas. Desse modo, você pode ter em um único móvel quase tudo que é preciso para guardar o básico do bebê, como fraldas, roupinhas e sapatinhos.  

6. Berço cama 

bebê no berço
(Pexels/Alicia)

Diferente dos modelos citados acima, o berço cama promete acompanhar os pequenos por mais tempo. Isso porque, após o período que usam o berço, esse móvel se transforma em uma caminha infantil, que pode ser usada posteriormente. 

Na maioria dos casos, esse berço conta com regulagens de altura e até largura. Informe-se no manual e faça testes na loja. Não se esqueça de conferir a capacidade máxima de peso suportada pelo móvel também.

Sem dúvidas, o custo-benefício é um ponto crucial para a escolha do berço cama entre os diversos tipos de berço. Não precisar encontrar outro móvel num futuro próximo deve ser colocado na balança. 

7. Berço com mosquiteiro

Todos sabemos que os pernilongos são seres que podem incomodar bastante. Com os bebês não é diferente. Nesse sentido, escolher um berço com mosquiteiro, ou com suporte para um, pode ser uma ótima solução.

Mais uma vez, cuidado com o kit berço – alguns contam com mosquiteiro. Para evitar problemas, prefira aqueles que tenham a base bem afastada do bebê. Além disso, na instalação, certifique-se que não há risco de cair sobre o berço durante a noite. 

Por fim, siga a regra de só comprar produtos certificados pelo Inmetro. 

Mas como escolher o berço ideal?

Há muitos tipos de berços no mercado. Como vimos, algumas privilegiam espaço, outras acessórios e ainda há as que oferecem um apelo para funcionalidade. 

Mas agora, qual tipo de berço escolher? Tente levar em consideração os seguintes pontos: 

  • Tenha foco na procura: liste o que você privilegia para o quarto infantil, seja espaço, aparência ou até mesmo personalização. Esse será o ponto de partida da sua escolha. 
  • Faça uma pesquisa prévia: bem, se você está lendo este texto, nesse quesito com certeza está prestando atenção! Lembre-se de fazer comparativos de preços e modelos entre as lojas. Outra ideia é conferir reviews das marcas e tipos disponíveis. Esse tipo de cautela prévia pode evitar decepções futuras.
  • Certificação é obrigatória: para segurança do bebê, escolha berços em que a certificação do Inmetro esteja bem visível. Ela é obrigatória e garante a segurança de todos os itens desse tipo de mobília. Se não encontrar o selo no produto, recomendamos que desista da compra.
mãe colocando bebê no berço
(Pexels/RODNAE Production)

Quais berços não comprar?

Dentre os tipos de berço, será que há algum que é melhor ficar longe? A resposta é: sim! Ou ao menos, vale um cuidado redobrado. Veja a seguir alguns casos:

  • Berços usados em mau estado: mesmo que seja apenas um descascado, uma madeirinha quebrada ou um plástico rachado, atenção! Esse tipo de material não deve ter avarias para não colocar o bebê em risco. Dessa forma, se o intuito for economizar, prefira itens em bom estado de conservação e que sigam as normas de segurança.
  • Berços de fabricação caseira ou manual: claro, vale dizer que há exceções, mas para total segurança, este item deve ser aprovado pelo Inmetro. O que dificilmente poderá acontecer em casos de produtos manufaturados.

Os tipos de berço estão aí para você escolher o melhor para sua casa e rotina. Aproveite a chegada do novo membro da família e nos vemos no próximo conteúdo! 

Compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Receba nossas novidades

Assine nossa newsletter e receba dicas exclusivas de cuidados e truques dos especialistas Cada Casa Um Caso.